Páginas

domingo, 30 de junho de 2013

LISTA: REVISTAS INESQUECIVEIS

Sem elas, não estaria escrevendo estas palavras. As revistas informativas sobre cultura pop invadiram as bancas de jornal graças ao exito do desenho Os Cavaleiros do Zodíaco que catapultou a revista Herói para o estrelato sendo a publicação mais vendida no auge. Muitas outras publicações semelhantes, ou nem tanto assim, surgiram depois. A maioria delas não sobreviveu a popularização da internet, que consegue mostrar os fatos na hora em que acontecem, diferente das revistas que demoram até 30 dias para contar algo. Na velocidade atual das informações, até o jornal do dia é desatualizado. Alem da competição com a rede, tem o fato do preço da impressão e do papel ser caro demais o que, potencialmente, encarece o preço final do produto. Opinião pessoal aqui: eu prefiro bem mais ler um artigo de revista do que na tela do computador, por isso bolei a lista abaixo com base nas revistas que me acompanharam na minha adolescência e vida adulta (duas delas são publicadas) e suas informações que absorvei para toda a minha vida.

REVISTA ANIMAX:


A Animax foi uma de muitas que surgiram com o sucesso da Herói que fez fama ao explorar (para o lado positivo) o fenômeno Cavaleiros do Zodíaco. Mas a revista tinha um diferencial que contou muito com sua sobrevivência, ela apresentou aos brasileiros o universo otaku, que compõe tudo o que vem do Japão como animes, mangas, tokusatsus, cosplay, e muito mais. Outro detalhe que desagradava muitos os fãs é que seus editores eram verdadeiros e tentavam abrir os olhos dos leitores. Eles apontavam os defeitos dos Cavaleiros, Sailor Moon e outras series e contavam os bastidores, as vezes nada legais, da vinda de uma serie para o País. A publicação ainda existe no formato digital http://animaxmagazine.blogspot.com.br/



REVISTA ARQUIVO X E SERIADOS/STARLOG BRASIL


Revista interessante que, obvio, explorava o sucesso de Arquivo X. Trazia o mesmo conteudo e equipe da Starlog Brasil mas ia alem ao dar voz e vez a outras series de ficção cientifica. Teve varias edições publicadas.



REVISTA HENSHIN


A Henshin foi publicada no auge do anime e manga no Brasil, quando até mesmo um canal por assinatura dedicada as animações japonesas existia. Com conteúdo produzido por ex-escritores da cultuada Herói, a publicação trazia guia de episódios, entrevistas com dubladores e matérias sobre as mais variadas séries com destaque para Dragon Ball Z que era a mais comentada serie do período. O grande diferencial da revista, entretanto, foram as entrevistas com o pessoal envolvido em series de tokusatsu como atores, roteiristas e diretores. Até então, nunca ninguém havia ido tão longe.



REVISTA HERÓI


De todas desta lista, essa marcará época. A Herói surgiu na hora certa, no lugar certo. Os Cavaleiros do Zodíaco estava se tornando a nova coqueluche da TV quando Odair Braz Jr, André Forastiere e Rogério de Campos tiveram a ideia de publicar uma revista semanal que falasse sobre filmes, desenhos e series. A Herói foi bem mais do que isso. Ela retratou uma época e acompanhou o surgimento da era digital. Tanto sucesso fez ela virar rival da maior publicação semanal brasileira, a Veja. Também teve varias edições especiais como Super Herói, Herói Mini e vivia em constante mutação como os super heróis, virou Herói Gold, Herói 2000, Heroi.com.br, sumiu e voltou das bancas algumas vezes até existir somente na versão digital. Foi uma publicação unica ao apresentar ao publico series e desenhos que não eram exibidas no Brasil.



REVISTA MOVIE


A Movie era, de longe, a mais bem acabada revistas das que circulavam no Brasil sobre cinema. Com um projeto gráfico ousado e muito bonito, ela tinha um jeito diferenciado de fazer reportagens. Podia ter ido muito bem, pois surgiu bem na época da crise da Set, mas durou poucas edições.



REVISTA MUNDO DOS SUPER HERÓIS


A Mundo é uma das duas revistas desta lista que esta em circulação. Ela tinha um conteúdo único no mercado brasileiro onde se fazia grandes reportagens chamadas de dossiês sobre personagens dos quadrinhos. Seu único defeito era que era bimestral. Mas a espera valia apena. Atualmente, a revista alterou um pouco o foco, ela se tornou mensal e com menos paginas, mas agora esta com um leque mais abrangente de informações não ficando restrita aos gibis.



REVISTA PREMIERE


Vejam só como são as coisas. A Premiere era uma revista portuguesa, trazia o conteúdo de uma das mais respeitáveis publicações sobre cinema no mundo, era adiantada meses das publicações brasileiras e custava mais barato do que elas! A Premiere é uma fonte de inspiração para eu fazer o Badfish, pois tinha um jeito muito orgânico e simples de fazer as reportagens, nem mesmo a escrita portuguesa dificultava. Ela tinha ótimas criticas sobre os lançamentos no cinema e DVD e tinha uma coluna chamada Os Dias de Criswell onde o consagrado jornalista português contava o que lhe ocorria no seus dias de cinéfilo. Ah, tinha as Cenas Quentes com os momentos mais sensuais do cinema. A publicação deixou de ser impressa para virar digital, mas nas minhas pesquisas para essa matéria, descobri que ela voltou a ser publicada em Portugal.



REVISTA PREVIEW


Até onde sei, a Preview é atualmente a unica publicação sobre cinema em circulação. Editada e escrita por ex-colaboradores da Set, a Preview dispõe de um serviço de assinatura que oferece ao cliente opções como escolhas nas capas duplas. Muito bem escrita e resenhada, a publicação esta prestes a completar 50 edições e possui um blog onde atualiza as capas do mês, bem na contra mão das outras revistas que viraram exclusivamente digitais.



REVISTA SERIES: TV E CINEMA


Podia se dizer que Series: TV e Cinema era feita de fãs para fãs. Tinha um visual a lá fanzine, jeito informal de escrever por parte dos repórteres e até um encarte no meio em preto e branco com guia de episódios comentados de varias series. Muito boa publicação, bem diferente das demais, mas muito informativa, isso que importa.



REVISTA SERIADOS DE TV


Publicação especializada em series de TV muito informativa e bem escrita. Infelizmente durou poucas edições. Apresentava aos leitores series que outras publicações não davam muito espaço.



REVISTA SET



Clássica publicação sobre cinema que já existia antes do fenômeno da Herói. A Set tinha acesso aos bastidores dos filmes (hoje essa honra cabe a Preview), jornalistas respeitados como Dulce Damasceno de Britto a unica correspondente brasileira em Hollywood durante o período de ouro que contava suas memorias e Alfredo Stanhein ex-diretor do cinema. Era comandada pelo polemico Roberto Sadoviski que não tem freio na língua e destratou publicamente a nova direção da revista quando ela foi vendida para outra editora.



REVISTA SCI FI NEWS


Como o próprio nome sugere a Sci Fi era direcionada aos aficionados por ficção cientifica. Graças a ela conheci este universo de seres diferentes, criaturas misteriosas e naves estelares. A publicação analisou Arquivo X durante o auge da serie e apresentou ao publico (e a mim) a minha serie favorita de todos os tempos: Buffy. Me desapontou muito por se tonar muito vazia e pouco critica nas ultimas edições e com um visual bem pobre. Mas, de 1997 a 2002, foi seu período de ouro apresentado aos fãs brasileiros séries que somente hoje, com a internet, podemos ver. Hoje ela existe no formato digital, mas confesso que nunca visitei a pagina, para mim, a Sci Fi só tem graça com aquele cheiro de revista que sentia quando a pegava nas minhas mãos.



REVISTA WIZARD


Comprei o numero 1 da Wizard logo quando a Editora Globo entrou agressivamente no mercado dos quadrinhos com a chegada do universo Image para concorrer diretamente com a Abril que detinha os direitos da Marvel e DC. A Wizard tinha um lado mais tecnico do que as demais, dando mais atenção aos criadores do que as criaturas, graças a esta revista eu soube quem criou os personagens que tanto gostava e fui apresentado a nomes como Alex Ross, Carmine Infantino, Jonh Bryne, Chris Claremont, Stan Lee, Steve Ditko, Will Eisner e muitos outros. Teve passagens por 3 editoras e teve que mudar seu nome para Wizmania devido a escola de ingles Wizard solicitar o exclusivo uso desse nome no país. Sinto muita falta desta publicação.

Nenhum comentário: