Páginas

domingo, 15 de março de 2015

RIO DE LÁGRIMAS


A HISTORIA DA TELENOVELA MAIS TRISTE DE TODOS OS TEMPOS

A minha história com telenovelas se resume a poucas produções que considero sortudo de vê-las, já que desde cedo minha paixão por séries se tornou maior. Mas aquelas em que fiquei acompanhando durante meses não escondo de ninguém que gosto como as dramáticas historias de Manoel Carlos (História de Amor, Por Amor e Laços de Família), as inesquecíveis e inovadoras historias que Rede Manchete produziu (Pantanal, Kananga do Japão e A Historia de Ana Raio e Zé Trovão) passando pelos dramalhões mexicanos (Carrossel e trilogia das Marias). Mas entre essas produções citadas, duas delas me surpreendeu pelas histórias que são ótimas: A Outra e Manancial. Esta ultima conheci numa das vezes em que a rede CNT resolveu repaginar sua programação e ensaiou um retorno de parceria com a gigante Televisa que durou pouco mais de um ano.

Adela e Patricia: amigas para toda hora.

Manancial foi exibida pela Televisa entre o final de 2001 e começo de 2002 com 95 capítulos recheados de emoção e uma trama que nunca deixou o telespectador respirar aliviado, a não ser  no ultimo capitulo, na ultima cena quando o letreiro "Fin" apareceu. Possui o titulo de telenovela mais triste dos últimos tempos devido a tanta desgraça que acontece na vida da mocinha Adriana (Adela Noriega, certamente  a melhor atriz mexicana): ela é estuprada pelo pai de seu grande amor, leva má fama na cidade graças ao comportamento liberal de sua mãe, é alvo do ódio que a mãe de seu amado sente por ela, da inveja da vilã, foi apedrejada, humilhada, teve a casa queimada e destruída varias vezes, perdeu os pais e a tia alem e muitos outros acontecimentos. Praticamente todo o capitulo tinha uma desgraça acontecendo com ela o que obrigava Adela a chorar quase sempre, senão fosse o carisma da atriz, certamente seria uma tortura assistir essa novela. Não fosse também a química maravilhosa entre Adela e seu par Mauricio Islas que nos fazem torcer pelo par principal desde o primeiro momento em que os vemos.


Daniela Romo e Alejandro Tommasi: Dramas, não!
Na trama, Adriana ou Alfonsina como se chama originalmente e Alexandre ou Alejandro se apaixonam mesmo sabendo que o ódio permeia a relação dos dois uma vez que o pai de Alexandre, Justo (Alejandro Tomasi, perfeitamente odioso como vilão que abusa de todos) teve um caso com a mãe de Adriana, Francisca (Azela Robinson, numa participação que marcou a novela e sua carreira) gerando um filho que todos achavam nascer morto. Essa mentira foi sustentada pela mãe de Alexandre, Margarida (Daniela Romo) que nutre um ódio mortal por Francisca que acaba atingindo Adriana.  Margarida e Justo continuam casados para que o filho seja criado dentro de uma família normal, mas aos poucos, Alexandre descobre os podres deles, ele  mal imagina que seu pai estuprou Adriana, segredo revelado, claro, no ultimo capitulo. Não só a família de Alexandre atrapalha o amor do casal mas também Barbara (Karyme Lozano) ex-noiva do rapaz que foi abandonada dias antes de se casar e acaba nutrindo uma profunda magoa por Adriana. 




A novela é um grande dramalhão com personagens sofrendo e chorando em praticamente todos os capítulos e outra marca registrada da novela são as discussões e barracos que também rolam em todos os capítulos. Senão fosse o dedo da produtora Carla Estrada na escolha do elenco, Manancial corria o serio risco de se tornar uma historia chata e depressiva. Difícil ver Adriana ser interpretada por outra atriz senão Adela Noriega. Essa atriz é a verdadeira rainha das novelas, uma vez que de 1986 até 2008 protagonizou nada menos 11 novelas sendo que 7 foram exibidas no Brasil (Meus Quinze Anos, Guadalupe, Maria Isabel, O Privilégio de Amar, Manancial e Amor Real). Em comum, são heroínas fortes, decididas, mas derramam um rio de lagrimas.  Mauricio Islas, atualmente contratado da rival da Televisa, TV Azteca, foi um convincente mocinho que transmite todo o amor que seu personagem sente por Adriana, tornando toda a historia muito verdadeira. Já os vilões são terríveis fazendo de tudo para atrapalhar a vida dos protagonistas. A atriz e cantora Daniela Romo, pouco conhecida por aqui, estreou como antagonista no papel de  Margarida, a amargurada e ressentida mãe de Alexandre que transmite todo o ódio que sentiu por Francisca para Adriana, vive em conflito com seu marido ainda mais quando este descobre que ela é apaixonada pelo padre Salvador (Manuel Ojeva) tio de Adriana. Daniela criou um tipo marcante as vezes exagerada que tinha um bordão magnifico: Dramas não! Justo era interpretado por Alejandro Tommasi que nunca caiu no caricato e nem no estilo de vilão charmoso que as pessoas amam odiar. Ele simplesmente foi mal durante toda a novela, nunca se arrependendo de suas ações inclusive abusando sexualmente da mocinha numa cena angustiante. Karime Lozano viveu a patricinha má Barbara que encarou de frente a tarefa de infernizar a vida de Adela Noriega. O talento da atriz foi comprovado e ela ganhou o posto de protagonista em Menina, Amada Minha de 2003. Ela fazia par com Sylvia Pasquel com uma vilã caricata, Pilar uma mulher fofoqueira e interesseira. Na parte dos personagens de bom carácter, ainda que guardem segredos de Adriana, temos os seus tios Salvador e Gertrudes (Olivia Bucio) que chorou tanto quanto Adriana por esconder vários segredos da garota. Ela ainda tinha uma melhor amiga, a bem humorada Milena (Patricia Navidad) garota apaixonada por Heitor (Jorge Poza) um rapaz que desconhece suas origens.

Rejeitada no altar: Karyme Lozano é Bárbara

São poucos personagens que fazem a historia ser movimentada em todos os capítulos nunca entregando a famosa barriga aquele período onde os autores relaxam e precisam esticar a novela inventando coisas chatas e absurdas. Pelo menos em novelas mexicanas, em sua grande maioria, as barrigas nunca aconteciam pois sempre foram obras mais curtas de que as novelas brasileiras. Tantos acontecimentos fazem de Manancial uma historia dinâmica onde, se você perder um ou dois capítulos, toda a historia está diferente com alguma bomba que aconteceu. Apesar de todo o dramalhão e choradeira, foi uma novela que entregou fortes emoções e interpretações acima da média. Recentemente a Televisa produziu um remake de Manancial chamado La Sombra del Passado onde alterou nomes e algumas situações que são mais condizentes com os dias atuais. Mais uma vez, a historia faz sucesso, mas não possui atores tão carismáticos nos papeis principais, a história de Manancial que é irresistível. 



+
A ESTRELA RECLUSA

Muitos fãs se perguntam por onde anda Adela Noriega? Desde o final da novela Fuego en la Sangre de 2008 que a atriz não participa de nenhuma outra produção. E mais, ela não foi mais vista em publico levantando boatos na imprensa marrom do México: teria Adela engordado? Ficado velha demais? Com síndrome do panico? Seja o que for, numa era onde tirar fotos com o celular se tornou parte da rotina das pessoas, Adela conseguiu o impossível, viver sem ninguém saber de seu paradeiro. As poucas informações dizem que a estrela mexicana vive nos EUA pois a criminalidade no México está cada vez maior. Recentemente a impressa do país divulgou que Adela estaria em negociações com os produtores Carla Estrada e Salvador Mejia Alexandre para retornas a telinha da Televisa possivelmente no papel de vilã, como acontece com atrizes que passam dos quarenta anos, mas as negociações não foram adiante e Adela continua reclusa sem ser vista pelo seu publico que tanto a adora.


Nenhum comentário: